sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Lembranças (Parte 01)

As vezes me lembro de você! Do seu olhar procurando o meu, em momentos de tristeza ou sofrimento por qualquer coisa da vida. Lembro de nos dois procurando entender o significado da vida, quando ela ainda não havia sido tão justa conosco.
Procurei um CD do John Mayer que você dizia ser musica de adolescente, e comecei da primeira faixa que é Your Body is a Wonderland. Fiquei lembrando das tantas juras que fizemos um ao outro, das promessas e planos que se quebraram aquele dia que me viu partir, chorando e temendo nunca mais te ver, e assim foi.
Tem sido dias difíceis, de superação e de conquista do meu amor próprio.
Olha, vou te contar, mas estou deixando o cabelo crescer, e estou cuidando mais de mim. Você gostaria de me ver assim! Talvez seria a pessoa ideal pra você agora, não naquele momento, naqueles dias.
Nosso amor era fadado ao insucesso desde que o primeiro aviso veio, o carro capotando na rua no lugar do nosso primeiro encontro, lembra? Parecia tão irreal aqui, nos dois sentados procurando acreditar que aquele momento no qual ambos sonhávamos estava acontecendo naquela hora, buscando palavras para descrever a emoção que sentíamos em estar ali, e principalmente, juntando nossas coisas em comum! E eram tantas, lembra? Nossa pinta no rosto, aquela do lado do nariz, se juntava quando nos beijávamos; o gosto musical idêntico, o gosto por nostalgias, a mesma intensidade de se viver, até parecíamos fisicamente! Era perfeito! Ali escrevíamos o nosso destino, o nosso amor, que contaríamos
para nossos três lindos filhos.
Lembra que você dizia que até o modo como nos conhecemos era poético? Uma estação de trem, a ansiedade e as mãos geladas ao te encontrar ali. Lindo, me abriu um sorriso como se aquilo fosse escrito pelas mãos de Deus, como se aquele fosse um encontro de almas antigas que se apaixonaram em outras vidas e não puderam ficar juntas por algum motivo, e que aquela era nossa chance, o nosso momento.

(To be continued...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

You'll tell anyone who'll listen, but you feel ignored and nothing's really making any sense at all, LET'S TALK, LET'S TALK!